Noite de Verão

Agora que chegou o sol e de forma a “iniciar” a nossa presença por aqui, um conto nosso….Fantasia ou realidade? Mistério…..

Todo começou num verão muito especial. Um daqueles verões de muito calor e de finais de dia muito quentes e que convidavam a jantar ao ar livre, na companhia de uma música agradável e de um bom vinho maduro. Depois de bem regada a conversa começou a levar-nos para caminhos bem picantes. Fomos falando das fantasias de cada um, do que tínhamos feito até essa altura em termos de sexo e do que gostávamos de fazer.

Até essa altura a Ana, que tem 42 anos, morena e de cabelos castanhos curtos, com um corpo bem definido e elegante que a torna-a uma mulher realmente apetecível, apesar de ser muito activa sexualmente, nunca tinha estado com outro homem a não ser eu. Apesar de ambos sermos muito activos sexualmente e gostarmos da envolvência que existe em volta do sexo, sempre nos mantivemos fiéis um ao outro, baseando a nossa relação na máxima comunicação e confiança um no outro.

Durante a nossa agradável conversa fomos falando do que gostávamos de ver, das nossas fantasias e de até onde éramos capazes de ir. Descobrimos que ter uma terceira pessoa a participar era algo que fazia parte de ambas as nossas fantasias e que a Ana adoraria sentir-se literalmente objecto de prazer de um outro homem. De referir que a ideia agradava-me imenso, pois sempre tinha tido como fantasia vê-la com outro homem e imaginar vê-la gozar de prazer nas mãos de outro homem punha-me bastante excitado. Claro que depois desta conversa toda e de estarmos um pouco quentes devido ao vinho, acabamos por fazer amor ali mesmo, na varanda, sem nos preocuparmos com a possibilidade de alguém nos poder ver e ouvir, com a Ana a ser bem malandra pois foi sempre falando do que gostava que acontecesse quando estivesse com outro homem e eu claro adorando todo aquilo e incentivando ainda mais.

Depois desta agradável e longa noite, escusado será dizer que esta fantasia passou a fazer parte das nossas “trepadinhas” o que aumentou cada vez mais a vontade de a realizar e também possibilitou que soubéssemos o que cada um gostasse ou não que acontecesse. Fez também com que a Ana passa-se a usar por vezes roupas cada vez mais curtas, vestidos que realçavam as suas formas e por vezes mesmo um pouco transparentes, o que fazia com que verifica-se que os homens não deixavam de reparar nela.

Foi então que resolvemos comprar uma webcam de forma a possibilitar a fazer realidade uma parte das fantasias quer era exibirmo-nos um pouco através da net. Durante algum tempo os contactos efectuados não deram em nada. Antes pelo contrario, pois todas as pessoas que fomos encontrando não nos despertavam qualquer interesse, um pouco pela conversas sem interesse. Até que um dia a conhecemos o Luis, que desde o início através das conversas que fomos tendo pelo MSN foi nos despertando cada vez mais interesse e curiosidade. O Luis através das suas conversas inteligentes e simpáticas foi eliminando as defesas da Ana e conseguiu que esta, num dos vários serões, que passávamos a conversar, o presenteia-se com um sensual strip seguido de algumas coisas bem mais picantes.

Depois deste serão, ficamos ainda com mais vontade de conhecer o Luis e tanto ela como o Luis provar aquilo que tinham mostrado pela cam, assim que sem pensarmos 2 vezes, propusemos um encontro para o fim-de-semana seguinte para nos conhecermos melhor.

Até ao meio dia de sábado podemos considerar que foi um dia de sábado normal, apesar da tensão e excitação que havia em nós que foi crescendo ao longo do dia. Depois de jantar e de deixar os miúdos em casa dos avós, a Ana foi para o quarto preparar-se e a pôr-se bem sensual para o resto de noite que íamos ter, enquanto eu estava na sala a ver televisão, mas com os pensamentos nos momentos seguintes que ambos íamos passar em que a Ana estaria nos braços de outro homem diante dos meus olhos. Via isto com um misto de algum ciúme, receio e de muita excitação

O tempo passou muito rapidamente. Ana tinha escolhido uma blusa semitransparente com um generoso decote e uma minissaia que mostrava as suas belas pernas. Não tinha soutien, o que através da blusa deixava ver os seus peitos com os bicos bem levantados o que denunciavam a sua grande excitação. Calçava uns sapatos de salto e umas meias sensuais que lhe davam um ar bem elegante às desde já bonitas pernas.

Marcamos o encontro num bar no Porto, um daqueles locais com gente bonita e elegante e ambos chegamos à hora marcada e notava-se perfeitamente que nos encontrávamos os 3 bastante nervosos. A Ana e o Luis deram 2 beijos, sentamo-nos e fomos falando de tudo um pouco, como se de velhos amigos nos tratássemos e o ambiente gradualmente foi desanuviando. Reparei que o Luis admirava a Ana cada vez mais e várias vezes referiu como ela estava bonita e sensual. Ana, embora nervosa, parecia estar a saborear cada vez mais aquele momento de luxuria e ia pondo posturas cada vez mais sensuais que faziam que o Luis ficava ainda mais quente.

Após hora e meia e como estávamos bem na companhia uns dos outros resolvemos acabar a noite em nossa casa.

O caminho até nossa casa decorreu de uma forma normal, com o Luis na nossa companhia e falando sempre de trivialidades.

Em casa pusemos uma música agradável e uma luz bem sensual. Para acompanhar fui preparar umas bebidas para nós os 3. A ida à cozinha e o saber que estavam os dois sozinhos deixou-me ainda mais excitado e fiz para demorar mais um pouco de forma a deixa-los à vontade e ver como as coisas podiam rolar sem a minha presença, que poderia ser um pouco intimidatoria.

Quando voltei para a sala, pode ver que a Ana e o Luis já se encontravam juntos e que ele passava as mãos pelas suas costas e dava suaves beijos no pescoço dela.

Nesse momento, depois de beber um golo rápido da bebida que trazia, juntei a eles e acompanhei o Luis nas caricias. Saquei os seios da Ana para fora da blusa, comecei a a acaricia-las e beija-las e ofereci-as ao Luis. Naquela altura senti o meu pau a ficar cada vez mais duro, de ver um outro homem a chupar e acariciar os seios da minha mulher e de ouvi-la a gemer de prazer por estar a ser acariciada por 2 homens. As nossas mãos pecorriam todo o corpo de Ana, e íamos tirando toda a sua roupa, ficando apenas o pequeno triângulo que tapava o seu sexo. Ana deitou-se por completo no sofá deixando a sua ratinha ao alcance das nossas mãos que não tardaram em começar a explora-la. O Luis começou a acariciar toda a sua ratinha que se encontrava totalmente alagada devido as caricias que tínhamos efectuado em praticamente todo o seu corpo.

Fiquei ainda mais excitado por vê-lo a acariciar o clitóris da minha mulher ao mesmo tempo que os seus dedos entravam e saiam da ratinha da minha mulher, sempre ao som de cada vez mais intensos gemidos. Depois de vários minutos dedicados à minha mulher, que provocaram vários orgasmos da parte dela, levantei-me para beber mais um golo e afastei-me um pouco para apreciar melhor a Ana a gozar de prazer nas mãos de outro homem.

Este desceu a sua cabeça até ao sexo da Ana e começou a lamber cada milímetro da sua ratinha. Ana olhava para mim com olhos semicerrados de prazer e segurava as pernas de forma a mante-las completamente abertas e poder oferecer a sua ratinha toda aquele até agora estranho na nossa vida. Ela começou então a estremecer de prazer, num orgasmo brutal, empurrando a cara do Luis de encontro a si e ao mesmo tempo que apertava os seios.

Nesse instante, como os gemidos eram cada vez mais altos, juntei-me a eles e saquei do meu pau, a rebentar de vontade e enfiei na boca da Ana de forma a assim também reduzir um pouco os gemidos, que poderiam acordar os vizinhos. Ela nem sequer hesitou em meter o pau na boca, estava completamente excitada e tinha perdido totalmente alguns dos receios que poderia ainda ter. Pode verificar que a Ana e o Luis se olhavam nos olhos enquanto ele lambia a sua ratinha e ela me chupava.

Após a Ana ter tido uma grande explosão, foi se recompondo gradualmente e pondo-se de pé pediu ao Luis que se senta-se e começou a despir as suas calças enquanto ele tirava a camisa. Ao descer as calças, podemos comprovar que estava completamente excitado, pois as suas cuecas denotavam um alto bastante elevado, o que fez a Ana sorrir de uma forma bem malandra. Tinha muita vontade de provar um pau diferente do meu e estava a ponto de o realizar.

Com muita delicadeza puxou os slips para baixo, dando total liberdade a um pau, maior que o meu e a meio caminho de uma grande erecção. Nesse momento pode escutar a Ana suspirar de prazer ao agarrar esse pau e que começou a masturbar e a lamber como uma profissional.

Por fim as nossas fantasias tinham-se tornado realidade. Tinha à minha frente a minha muito respeitável mulher a lamber e a chupar um pau diferente do meu. Estava de joelhos de frente para o nosso convidado, acariciando o seu pau de cima a baixo, passando-o pelos seus seios, enquanto de vez em quando passava a sua mão e língua pelo meu pau.

Olhava nos olhos do Luis e introduzia a cabeça do seu pau na boca, chupando-o de uma forma que o fazia estremecer de prazer. Depois lambia todo o pau, não deixando nenhum centímetro por lamber, para no final tornar a introduzir o pau na boca e chupa-lo novamente. Luis gemia de prazer e dizia que era a melhor mamada que lhe tinham feito essa altura e Ana e eu ficávamos cada vez mais excitados em ouvir isso.

O trabalho da Ana foi tão bom que rapidamente Luis descarregou todo o seu prazer pelos seios da Ana, que surpreendida esfregou tudo pelos seus seios. Ainda bastante excitada deslizou até mim e enfiou o meu pau bem duro na sua ratinha bem molhada.

Começou a mover-se cada vez mais rápido e a gemer cada vez mais de prazer, enquanto ia falando do que se tinha passado até essa altura de uma forma muito sensual e excitante.

Esta visão ajudou com que o Luis rapidamente recuperasse e volta-se a estar preparado para a Ana.

Fomos até ao quarto e Ana deitou-se na cama e comecei a lamber a rata enquanto Luis punha o preservativo para fode-la. Quando vi que estava preparado, afastei-me e ajudei-o a enfiar abrindo o caminho com os dedos. Assim, pude ver de 1ª fila aquele pau enorme a entrar na rata da minha mulher e a mover-se com rapidez e com força o que fez a Ana gemer de prazer e ser ainda mais “vaquinha” nas frases q me ia dizendo, mostrando assim q estava a sentir um enorme prazer e que estava a adorar tudo o que tínhamos feito até essa altura.

Esteve assim a fode-la durante bastante tempo para depois sacar e a Ana pôr-se de gatas e o Luis enfiar novamente por trás, o que fez a Ana gemer ainda mais de prazer de cada vez que as investidas dele a faziam estremecer e a faziam ser cada vez mais forte nas palavras que ia dizendo a mim e ao Luis. Eu sentado na cama via toda a cena masturbando-me e completamente excitado por tudo o que Ana me dizia.

Luis foi acelerando cada vez mais os golpes, até que através de um grito de prazer, veio-se ao mesmo tempo que Ana também explodia de prazer gritando bastante. Eu claro, não consegui resistir e também me vim rapidamente.

Depois de tanta excitação deitamo-nos os três sobre a cama a recuperar e acabamos por adormecer com a Ana no meio de nós os 2, tal como sempre fantasiamos, finalizando da melhor forma uma noite em que foi uma mulher para 2 homens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *