Nossa primeira vez numa praia publica

Esta situação que vou passar a relatar ocorreu no mês de Agosto durante as ferias de verão, numa bela tarde de sol, com muito, muito calor entre nós …

Estava eu e a Rita… numa dessas praias da figueira, onde a agua por norma é gelada e se apanha bastante vento… a partilhar a mesma toalha, o calor na areia era muito, agregado ao toque dos corpos que íamos tendo, ao beijo, ao passar da mão pelo corpo e no fim deixar um leve apalpão… só de me lembrar ainda fico arrepiado com a situação e uma excitação crescente, enfim a provocação já vinha desde manha. No entanto tinha-mos uma amiga connosco por isso sempre nos fomos controlando com estes toques na toalha. E como estávamos meio tapados também com o corta-vento dava para estar relativamente mais a vontade.

Essa nossa amiga foi dar um mergulho, com a ausência dela, passamos para outro campo de provocação e colocamos a mão dentro do fato de banho/ biquíni um do outro. Como a Rita estava quente, quente e já bem húmida… que óptimo toque aquele, deu para sentir tudo lisinho, meus dedos molhados. Ela fez o mesmo, neste momento também já estava bem excitado e com volume indisfarçável no calção. Intuitivamente começamos a masturbar-nos. Meus dedos percorriam todo o clítoris dela…e por vezes já começava a penetrar com os dedos… a mão da Rita também já não parava dentro do meu calção… nos beijávamos ardentemente ao mesmo tempo que estávamos a fazer isto.

Por momentos tudo a volta “parou” nos esquecemos que estávamos numa praia publica… só nos os dois que clima, que tesão… que vontade de lhe arrancar tudo naquele momento…

Fomos então interrompidos por uma voz a dizer… meninos isso é para ser feito em “casa”… era a nossa amiga que já tinha chegado do mergulho…. Q cena!

Toda aquela envolvência, também com o facto de podermos ser apanhado levou a que a excitação não parasse de aumentar, estávamos ao rubro…ardíamos de desejo, decidimos então ir dar um mergulho, para acalmar e baixar o calor.

A água estava gelada, poucas ou nenhumas pessoas estavam dentro de água, as que entravam mergulhavam e saiam logo…tal o gelo… rapidamente fomos para dentro. Começamos a nadar um pouco até junto das rochas… a água estava super calma. A minha excitação não baixava, e continuava a arder de desejo. Coloquei a Rita com as pernas na minha cintura e iniciamos um louco e ardente beijo… nossas mãos não paravam e percorriam todo o corpo. Foi ai que olhamos olhos nos olhos e sem dizer grandes palavras tirei por completo meu calção de banho… nos encostamos mais junto as rochas e ficamos dentro de água. A Rita mergulhou e foi com a boca doce dela ao encontro de minha piça … continuava a latejar de prazer… foi óptimo sentir ela a chupar-me debaixo de agua, que tesão boa, tremia de prazer … nem a agua fria nos estava a acalmar, com tantos jogos de sedução e provocação só mesmo um belo orgasmo iria apaziguar um pouco tudo aquilo… A Rita ainda fez alguns mergulhos para vir apanhar ar e poder voltar para debaixo de agua.

Voltei a coloca-la com as pernas na minha cintura, e com a minha mão desviei o biquíni dela e encaminhei meu pau para a xaninha dela bem depiladinha e bem quente… rocei minha piça pela xaninha, para cima e para baixo algumas vezes… depois comecei a encaminha todo o meu pau para dentro da Rita… que tesão tínhamos os dois…

Naquele momento tudo a volta voltou a parar para nós os dois…

Senti finalmente meu corpo a tocar no da Rita… que óptimo… estava todo dentro da Rita. Comecei a fazer um leve movimento de entre e sai… q loucura estávamos a fazer, mas a excitação nem nos deixava pensar. A Rita continuava ao meu colo com as pernas dela a volta d mim, tínhamos agua quase até aos ombros…. O movimento da penetração foi aumentando….já não dava para parar …. Que momento… passado alguns minutos senti a Rita a baixar a cabeça para junto do meu ombro e a sussurrar ao meu ouvido, não pares, não pares estou quase a vir-me… após isso mordeu-me o ombro vincadamente para não gritar de prazer…e com todo o clima acabei também por me vir dentro dela… beijamo-nos de novo intensamente e começamos a encaminhar para sair da agua….

Após chegar a toalha necessitávamos urgentemente de mais e mais prazer … então interrompemos a tarde de praia e fomos para o apartamento dela… onde fizemos de novo amor ao ar livre com muita loucura, na varanda do último andar … mas isso ficara para contar noutro dia … noutro conto…

Que verão óptimo foi este … será sem dúvida para repetir….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *